A pontuar desde 2003.

sexta-feira, janeiro 07, 2005

O Ponto e Vírgula morreu.

Viva o Ponto e Vírgula!

PS: Para os interessados, a metade taralhoca deste blog associou-se a outros dois elementos de pastelaria e criou os Três Pastelinhos, em homenagem à nossa senhora que faz os pastéis de bacalhau no Painel de Alcântara. Passem por lá e dêem um ar da vossa graça. Um abraço e até um bit destes.

|

terça-feira, janeiro 04, 2005

Sign out,

Depois deste poste, quando eu carregar na tecla lá de cima o sentido pode não ter inverso. Passou tanto por aqui que qualquer justificação para a demora (imprevisível, a duração) é demasiado, ou demasiado pouco. Deixamo-nos num voo: em suspenso,

|

quarta-feira, dezembro 29, 2004

Copofonia.

Como, imagino, muitas boas pessoas por este mundo espalhadas, também eu tive o jantar de Natal da firma. Só para vos dar uma ideia do nível, a fotografia que aqui vêem é, provavelmente, a única que posso publicar sem riscos de levar com um processo em cima. Foi uma noite, digamos, diferente.



Já perceberam que, se a Vírgula não volta rápido, aqui o nosso cantinho arrisca-se a tornar-se num fotolog a tempo inteiro. Vá, todos ao mesmo tempo: Vír-Gu-La! Vír-Gu-La!

|

Spin, spin, spin the black circle.*



* Já diziam os Pearl Jam e eu subscrevo.

|

terça-feira, dezembro 28, 2004

Já vos tinha dito...

... que o meu computador tem gravador de DVD's?


|

A criança dentro de mim está grande que se farta (3).


|

A criança dentro de mim está grande que se farta (2).


|

A criança dentro de mim está grande que se farta (1).


|

Video didn't kill the radio star.

A Radar é a minha rádio de eleição. Ok, tem as playlists como todas as rádios, os locutores manhosos saídos de uma misteriosa prateleira dos arquivos da emissora nacional, mas tem música do caraças e, sobretudo, os spots dos Móveis De Todomundo (sim, assim mesmo). Completamente desenquadrados da modernidade e de qualquer padrão de bom gosto e qualidade, os anúncios desta cadeia de móveis são uma delícia congelada no tempo. O último, um dos meus favoritos de sempre, anuncia cadeiras onde o consumidor se pode "sentar ao colo do animal". Presume-se que se trate de uma cadeira temática, com figuras de animais, pelo tom do spot, mas dá que pensar, não dá?

|

segunda-feira, dezembro 20, 2004

Rabanadas, etc e tal.

Graças à enorme panóplia de doces natalícios que inundam os estômagos virtuais destes vossos pontuais amigos (que, no caso da Vírgula, se começam a notar a olhos vistos...), o ritmo aqui do blog é capaz de abrandar um conhé. No entretanto, optem pelas fatias douradas, pelas azevias (o grão, essa matéria prima infindável) e, o favorito aqui do yours truly, pelo derradeiro soco no fígado que dá pelo nome de fios de ovos.

|

Natal de quem calhar.

Certinho como o destino, todos os anos, uns dias antes da consoada, lá nos calhava a sina de levar com o Natal dos Hospitais, essa manifestação cultural insuperável, esse portento da comunicação televisiva, esse tubo de ensaio de novos artistas da nossa praça. Enfim, não satisfeitos com a gravidade da situação, eis que os responsáveis das televisões nacionais optam por descobrir outros natais igualmente dignos de tempo de antena, como o Natal das Prisões. Se a moda pega, ano que vem espera-nos o Natal das Retrosarias a Sul do Tejo, a Consoada dos Amigos do Faisão de Lamego ou a emergente Véspera dos Acamados de Mesão Frio. Isto com sorte.

|

quinta-feira, dezembro 16, 2004

Under his charms.






|

Smile, Josh, smile.*



* Grito entusiasta de um fã, a merecer a resposta de um Josh Rouse atrapalhado: "I am smiling...!"

|

É a cultura, estúpido.

Tenho visto concertos memoráveis nas últimas duas semanas (por mais do que um motivo): Gift ao vivo em Alcobaça e no S. Luís, Soulwax ao vivo no Lux e, ontem, o fabuloso Josh Rouse ao vivo no Fórum Lisboa. O mais difícil é escolher, tal é a profusão e qualidade das ofertas culturais no país em que vivemos. Deve ser da crise, pois.

|

domingo, dezembro 12, 2004

Para bom entendedor.

Anuncia o Jornal da Noite que passa cá em casa que uma senhora que sofre de mongolismo só descobriu que padecia da doença aos 27 anos. Não sei onde é que está a notícia - só de olhar para a vida política nacional, lembro-me de duas dúzias de senhores que têm para cima dos 50 e ainda não descobriram a enfermidade.

|

Kama-sutra.

A posição sexual preferida de Santana Lopes? Certezas não tenho, mas aposto que é a de missionário.

|

quinta-feira, dezembro 09, 2004

O melhor disco do mundo desta semana (é, não é, amigo?).

The Gift, "AM/FM". Comprem. Se não gostarem, enviem-mo por correio e terão o vosso dinheiro de volta. It's that good.

|

Que ricas prendas (4).



O próprio do S. Luís.

|

Que ricas prendas (3).



Gift ao vivo no S. Luís.

|

Que ricas prendas (2).



Gift ao vivo no S. Luís.

|

As minhas idiossincrasias.

É verdade, Britney Spears, a deusa teen de todo um universo sequioso de estrelas intergalácticas, está de regresso com um "best of" (parece-me que, neste caso, a expressão é usada com alguma liberdade, mas enfim, isto sou eu e o meu mau feitio), "My prerrogative". A manobra arriscadíssima e a indiciar uma maturidade a apontar a um público mais adulto e, sobretudo, mais letrado, inspirou outros ídolos pop a editarem obras mais maduras e complexas.
Um espião do Ponto e Vírgula teve acesso aos nomes provisórios das ditas obras e avança aqueles que poderão ser os grandes sucessos musicais do ano que aí vem:

Christina Aguillera "With utterence assertion"
JLo "Our contrivance apparatus"
Pink "Achievements of acquisition"
Snoop Doggy Dog "Manumissions of repayment"
Dr Dre "Endeavours venture undertakings"

E Britney, um enorme ósculo para ti.

|

Mayday, mayday.

Problemas técnicos com essa instituição que é a Netcabo têm-me impedido de actualizar aqui o tasco com a frequência e celeridade desejadas. Entre os planos para resolver os distos encontram-se armas biológicas estrategicamente colocadas nas imediações da residência do Eng. Bau, napalm na piscina do Eng. Bau e, porque nem tudo são amarguras, nitroglicerina misturada no leite de soja do Eng. Bau. Vou ali fazer um favor à humanidade e já volto.

|

quarta-feira, dezembro 08, 2004

Que ricas prendas (1).



Gift ao vivo no S. Luís.

|

domingo, dezembro 05, 2004

SK8 or Die.

Como muitos rapazes adolescentes, tive a minha fase de skater. Apesar de nunca ter sido um craque (aliás, muito longe disso), o fascínio nunca me abandonou, agora mais na condição de espectador. Este flirt concretizou-se, aqui há dias, quando chegaram do Canadá as três pranchas que tinha comprado há uns meses num leilão online. São da responsabilidade de pintores e designers e vão directinhas para a parede cá de casa. É como diz o ditado: quem não sabe fazer, compra.


|

O Natal é muito lindo, ah pois é.



Os nossos agradecimentos às milhares de lojas de artigos Made In Chain espalhadas por Alcântara, sem as quais este belíssimo momento nunca teria sido possível.

|

quinta-feira, dezembro 02, 2004

Ele há videoclips e ele há videoclips (2).



Fatboy Slim, "Weapon Of Choice", de Spike Jonze.

|

Ele há videoclips e ele há videoclips (1).



Fatboy Slim, "Praise You", de Spike Jonze.

|

quarta-feira, dezembro 01, 2004

Sayonara.

Só depois de decidir experimentar a arte do sushi em casa é que percebi que quem atribuiu o dom da paciência aos chineses se enganou por uns milhares de quilómetros.


|

(Não há) condições.

Prometi a mim próprio que só retomaria este blog quando o governo caísse. Enfim, é o que se chama uma coincidência do camandro.

|

quinta-feira, novembro 25, 2004

O tecto do mundo.

Saí de casa dos meus pais há uns anos, não sei precisar quantos. De todas as coisas que sinto saudades na casa que deixei, talvez esta seja a que mais me assola a memória. Mãe, posso ir aí jantar no fim de semana?


|