A pontuar desde 2003.

domingo, junho 15, 2003

O vizinho toca sempre muitas vezes.

Como metade da população de Lisboa, também eu tenho vizinhos problemáticos. Ok, admito que o meu nível de tolerância pode estar um pouco abaixo da média, mas, meus amigos, eu vivo no prédio "that came from hell"... Comecemos pelo meu vizinho de baixo - solteiro, novo, muito novo, militar. Passa muito tempo em casa e os seus grupos favoritos são os Queen e os Pink Floyd. Se já está a verter lágrimas solidárias por mim, respire fundo que a procissão ainda vai no adro. Quando confrontado, dedo na campaínha, uma da manhã, com o facto de estar a ouvir o "It's Only Love" do Bryan Adams (agora sim, pode chorar que nem uma madalena) uns decibéis acima dos necessários para causar danos auditivos permanentes, o magala responde (aos berros, caso contrário nenhum de nós teria ouvido uma sílaba): "Por acaso, não acho que esteja assim tão alta...".

Eu sou um gajo democrático, voto sempre que posso, bolas, até o jantar cá em casa é decidido à melhor de três, mas digam-me lá se não é de pensar duas vezes em apresentar um projecto lei que torne constitucional a Boa Educação Obrigatória? Nada de mais, apenas umas boas horas por semana com a Paula Bobone ou até George Bush Jr., seriam mais que suficientes para ensinar à criatura as bases da vida em sociedade, não?

Se tudo o resto falhar, resta-me sempre uma arma secreta - "Kind Of Blue" do génio Miles no leitor de CD's, colunas viradas para o chão, amplificador no máximo e ala para o café aqui da rua beber umas imperiais até que o trompete divino tenha cumprido a sua função pedagógica.

|