A pontuar desde 2003.

sexta-feira, novembro 28, 2003

Ah, então és tu.

Sou, confesso, sou eu. No início, sentia-me um pouco estranho, bizarro até. Mais tarde, e com o tempo, aprendi a aceitar as minhas diferenças e a viver com elas. Agora, rendido que estava às evidências, vou deitar tudo às urtigas e vou deixar de o ser. É verdade, meus amigos, já devem ter ouvido falar de mim em lendas e mitos urbanos, mas eu, o Único Português Que Ainda Não Foi À Neve, vai deixar de o ser, daqui a meia dúzia de dias. Proponho-me agora como uma nova ave rara, epíteto que tão cedo não conto abandonar - O Único Português Que Ainda Não Foi Ao Recife. E deste, não abdico.

|