A pontuar desde 2003.

segunda-feira, novembro 24, 2003

O fantasma do Natal presente.

Mas afinal o que é que se passa com o Natal? De ano para ano, as superfícies comerciais antecipam cada vez mais a festividade com as cores da época e as decorações costumeiras numa tentativa (muito pouco natalícia) de apanhar distraído o consumidor incauto - "olha, bolas vermelhas, renas e pais natais, deve estar na altura de rebentar com o plafond do visa". O problema é que estes falsos estímulos surgem cada vez mais cedo e, muitas vezes, ainda andam os mais distraídos a tentar sair do verão de mansinho e já levam com o natal pelos olhos adentro.

Normalmente, até gosto do Natal, mas tudo o que é demais ou descontextualizado parece dar-me azia. Senhor Nicolau, faça favor de dar uma palavrinha aos seus duendes, que alguém lhe anda a gamar o Natal nas suas barbas. E, quando der por ela, pode ser que seja tarde demais.

|