A pontuar desde 2003.

sexta-feira, abril 30, 2004

Kill Ponto.

Correndo o risco de ser a)profundamente ridicularizado, b)motivo de invejas sem paralelo, c)internado no Miguel Bombarda, vou partilhar com os nossos fiéis leitores (ambos eles) um facto curioso sobre a minha vida pessoal. Para além de ter os polegares oponíveis, o meu terrível segredo é ser familiar de David Carradine, o Bill de "Kill Bill", a última obra-prima de Quentim Tarantino. E assim dou-vos um parágrafo para pensarem em insultos à medida do meu crime.

Já está? Adiante. Parece irreal, mas o avô de David Carradine era um português de boa cepa, qualquer-coisa Carradinha de seu nome, que resolveu tentar a sua sorte do lado de lá do Atlântico. Como tantos outros, esse avô de um ramo da minha família (os Carradinhas), partiu para os EUA à procura de um futuro melhor e dessa aventura veio a nascer o famoso autor da expressão "Grasshopper", aplicadada às artes marciais.

Logo, ver o segundo tomo do mais recente devaneio de Tarantino é, grosso modo, como ir a um jantar de família em casa de um tio afastado. A grande questão que se coloca é: porra, com Lucy Liu, Vivica Fox, Uma Thurman e Darryl Hannah no elenco, porque é que o tio afastado tinha de ser o Bill?

|