A pontuar desde 2003.

segunda-feira, maio 24, 2004

Três delícias.

Não, não é a famosíssima iguaria do Chinês (eu sou mais da facção Chao-Min de Gambas), mas as três delícias musicais que não me abandonam o leitor de cd's nem a memória auditiva, nos últimos dias.

- Brad Mehldau a re-interpretar, de forma magistral, três temas dos Radiohead, em três álbuns diferentes. A saber, "Exit Music (For A Film)", em "The Art Of The Trio - Vol. 3", "Paranoid Android" em "Largo" e, mais recentemente, "Everything In Its Right Place" (alguém se lembra do despertar de Tom Cruise no início de "Vanilla Sky"?), no último "Anything Goes". Todas as versões de génio, a provar que Mehldau é um dos mais talentosos pianistas da sua geração.

- Gary Jules a re-interpretar "Mad World" dos Tears For Fears, na banda sonora de um dos maiores objectos cinematográficos não identificados dos últimos anos, "Donnie Darko". De cortar a respiração.

- Beck, o próprio, a re-interpretar o clássico "Everybody's Gotta Learn Sometimes", dos The Korgis, na banda sonora da última trip de ácidos de Charlie Kaufman e Michel Gondry, "Eternal Sunshine Of The Spotless Mind". Beck é Beck, que é Beck.

Cinco versões, cinco momentos de genialidade pura. A história reescreve-se?

|