A pontuar desde 2003.

sábado, setembro 11, 2004

Sim, pagam-me para isto (II).

Para descontrair do tremendo stress que é lidar com prazos, clientes e egos, deu-nos para experimentar os prazeres terapêuticos do tiro ao alvo. As armas funcionam com uma mola, disparam bolas plásticas (vagamente) infensivas e são perfeitas como resposta a um "isto hoje parece-me que têm aqui noitada", ou "pois, o cliente mudou de ideias e esqueceu-se de nos avisar" ou mesmo "olha, o cliente adorou, amou mesmo, mas decidiu investir o orçamento de comunicação em dois balões de ar quente que vão sobrevoar Alverca". O culto foi crescendo e agora estamos no nível conhecido como "A Escalada Da Violência". Ao reunirmos as armas, não pudemos deixar de reparar na imagem vagamente familiar que evocavam...


|