A pontuar desde 2003.

segunda-feira, outubro 18, 2004

O ditador que há em mim.

Esse, sobressai num dos mais clássicos jogos de tabuleiro (e o meu preferido), o Risco. Sempre que possível, escolho os exércitos azuis escuros - agrada-me a mancha de cor (ou a ausência dela) que exercem no tabuleiro, intimidando os adversários mais alegres e despreocupados, como os vermelhos ou os amarelos. A guerra é suja, dura e muito escura.


|